(RE)APRESENTAÇÃO

Spread the love

Eu não sei como começar esse texto a não ser dizendo que pessoas amadurecem. Em dois mil e quatorze quando eu iniciei o blog eu tinha uma visão totalmente diferente da que eu tenho agora. E isso é bom. Já imaginou se a gente tivesse o mesmo pensamento de quando tínhamos quinze anos? A vida é uma constante mudança, é uma evolução da qual a gente deve se permitir aprender.  Alguns anos atrás eu queria uma vida que não me agregava em nada, algo que a gente se deixa influenciar tão facilmente, que às vezes se torna difícil voltar para a realidade.
E é exatamente isso que eu quero datar nessa minha nova página, algo que é de verdade, coisas que me fazem feliz por estar viva, sabe? Quero mostrar que é normal sentir o que se sente, que ser diferente também é motivo de sentir orgulho, que ser quem você é, é de longe a melhor coisa do mundo.
Por algum tempo eu me culpei por gostar de moda, de certa forma eu via pelos olhos do outro um julgamento de futilidade que se trás nesse mundo. Eu me culpava por ser tão boa em algo que as pessoas não eram capazes de entender. Hoje eu percebi que o que os outros vêem, tão pouco me importa. Eu sou grata por ter descoberto minha paixão tão cedo, pois eu tenho em mente que isso foi um presente para mim. Muitas pessoas passam a vida atrás de algo que as façam felizes, e que muitas vezes vão embora desse plano sem descobrir sua essência. E eu, tão nova e imatura, já sabia que aquelas meias velhas que eu costurava para bonecas, seria o motivo do qual eu agradeceria por mais um dia de vida.
Já ouviram aquela frase: ”Tão bom morrer de amor e continuar vivendo”? Pois é. Não é só de romance que essa frase é feita, não se trata de conto de fadas e uma história digna de interpretação da Julia Roberts. Se trata para mim, de auto-conhecimento, do amor próprio. Morrer de amor por aquilo que se faz e continuar vivendo é tão bom, mas tão bom, que deixaria qualquer filme de chorar no chinelo.
Hoje essa Caroline de vinte e três anos é realizada por tudo que conquistou e por todos os dons que o tempo lhe ofereceu. O segredo é transformar aquilo que se acha banal, em algo que pode ser de ajuda para alguma outra pessoa. É saber que não se está sozinho, e que toda forma de amor é sim, de fato bem aceita.
Espero ser para vocês aquela amiga virtual que fala na cara e dá o ombro para apoio sempre que necessário.
Sejam bem vindos ao meu novo mundo.

Com carinho,

Caroline Larroque

 

 

 

Sem título

2 comentários em “(RE)APRESENTAÇÃO

  1. Carol, me identifico totalmente com esse artigo! E realmente, tantas vezes nos culpamos por gostar muito de moda e ter medo do pré julgamento das pessoas, como se fosse algo fútil.. Tô amando seu trabalho! Acompanho sempre! ❤

Deixe uma resposta